Sobre Jucu

O Rio Jucu vive hoje seus momentos de mais baixa vazão, devido ao longo período de estiagem aliado uma perda de cobertura vegetal de suas margens e nascentes, fruto de ocupação territorial e práticas de agricultura e pecuária insustentáveis, causando grande prejuizo ao estuário que em 2016 perdeu por 15 vezes sua ligação com o mar. Concentra baixa vazão somada à grandes lançamentos de esgotos sanitários in natura , o que consome seu oxigênio acarretando em constantes mortandades da fauna aquática.

Navegar pelas histórias do Jucu , um rio histórico, que serviu às primeiras investigações do sertão capixaba tem sido descobrir como um fluxo histórico de re-mescla de povos e vidas. O Rio Jucu foi o rio que permitiu o desbravamento do interior dos municípios de Vila Velha, Cariacica e Viana. Sua bacia está totalmente inserida no estado do Espírito Santo. O rio Jucu recebeu esse nome através dos índios, para os quais jucu é uma árvore de canela. A Bacia Hidrográfica do Rio Jucu é composta por seis municípios com características peculiares e traços culturais próprios.

Domingo Martins

São eles Domingos Martins onde o Rio Nasce e que até princípios do século XIX, era uma região habitada por índios botocudos. Em 1816, foi construída uma estrada de tropeiros ligando Vila Rica (a atual Ouro Preto), passando pelo atual território do município. Foram construídos quartéis ao longo da estrada batizados com nomes de cidades portuguesas, o que deu origem às atuais localidades de Melgaço e Barcelos. A partir de meados do século XIX, a região foi colonizada por alemães, pomeranos e italianos.

Marechal Floriano

Marechal Floriano, a cidade de imigração predominantemente alemã e italiana está localizada na região montanhosa do Espírito Santo, cercada pela Mata Atlântica sendo, inclusive, uma das regiões do Espírito Santo que possui ainda uma das partes mais conservada deste bioma.

Viana

Viana que inaugurou o ciclo da imigração Européia para o Espírito Santo, oficialmente em fevereiro de 1813. Ao final do século XVI e início do século XVII, os portugueses saíram de Vila Velha e seguiram pelo Rio Jucu em canoas, em busca de ouro. Acredita-se que sua primeira passagem tenha sido por Araçatiba, instalando-se ali os primeiros colonizadores, seguindo depois pelo Rio Santo Agostinho, afluente do Rio Jucu, até alcançar o local que hoje é a sede do município de Viana. Os indígenas que habitavam a região eram da tribo dos Puris. Anos mais tarde, vieram os imigrantes alemães e italianos para reduzir a escassez de mão-de-obra agrícola e ajudar a povoar as margens da primeira estrada que ligaria Vitória à Minas, também registra-se a presença dos açorianos na região. Os açorianos receberam terrenos, casas, ferramentas, carros de bois ou cavalgaduras, instalando-se nas proximidades do Rio Jucu e seus afluentes – Formate e Santo Agostinho – onde iniciaram o cultivo de trigo e arroz, melhorando também as culturas de milho e mandioca, já conhecidas pelos nativos.

Cariacica

Cariacica é parte da Região Metropolitana de Vitória. “Cariacica” é um termo oriundo da língua tupi antiga: significa “acari de rabo cortado”, através da junção de ûakari (acari) e asyka (de membro cortado). Em 1829, chegaram neste território os primeiros colonos alemães e pomeranos. Em 1890, Cariacica se separa de Vitória, tornando-se município independente. Na década de 1960, o município tornou-se um importante polo industrial, processo que foi interrompido com a criação do porto de tubarão, em Vitória, no ano de 1967, e a consequente atração de investimentos para Vitória em prejuízo de Cariacica. Hoje Cariacica é considerado um município periférico com altos índices de desigualdade social.

Guarapari

Guarapari Por volta do ano 1000, os índios que ocupavam o litoral sul do atual estado do Espírito Santo foram expulsos para o interior do continente devido à chegada de povos tupis procedentes da Amazônia. No século XVI, quando chegaram os primeiros exploradores europeus à região, a mesma era habitada por um desses povos tupis: os temiminós. Em 1585, o padre jesuíta José de Anchieta fundou uma missão jesuíta para catequizar os índios da região: a aldeia do Rio Verde ou aldeia de Santa Maria de Guaraparim. Em 1679, a aldeia de Guaraparim foi elevada à categoria de vila. Em 1835, foi criada a comarca de Guarapari. Em 1878, passou à condição de município. Em 1891, adquiriu o status de cidade.

Vila Velha

Vila Velha no século XVI, quando os primeiros colonizadores portugueses chegaram à região da atual Vila Velha, era disputada por três grupos indígenas diferentes: o
s goitacás (procedentes do sul), os aimorés (procedentes do interior) e os tupiniquins (procedentes do norte). O donatário português da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho, chegou na atual Prainha (chamada, na época, pelos indígenas, de Piratininga), a bordo da caravela Glória, junto com 60 homens, em 1535, fundando a então “Vila do Espírito Santo” (atual cidade de Vila Velha).

Skip to toolbar